ACESSO FÁCIL
Pesquisar
Close this search box.

Em blocos, 80% dos atendimentos aos foliões são relacionados ao calorão durante carnaval em Campo Grande

Por g1 MS

Esplanada Ferroviária ferveu com o Capivara Blasé.  — Foto: Vaca Azul/Reprodução

Esplanada Ferroviária ferveu com o Capivara Blasé. — Foto: Vaca Azul/Reprodução

Nos blocos de rua em Campo Grande, 80% dos atendimentos da Cruz Vermelha são relacionados a foliões que passaram mal por causa das altas temperaturas. Segundo as informações da organização, as pessoas atendidas relataram desmaios e mal-estar provocados pelo calorão.

“Essa situação reforça a importância de manter uma hidratação adequada e de usar roupas leves para enfrentar o calor intenso. A prevenção é fundamental para garantir a segurança e o bem-estar de todos durante as festividades”, destacou a diretora da Cruz Vermelha em Campo Grande, Aline Tagliaferro.

A responsável pela Cruz Vermelha explica que este ano as ocorrências no carnaval são mais tranquilas, em comparação aos outros anos. Tagliaferro comentou que a distribuição das festas em vários pontos da capital proporcionou uma descentralização de aglomeração na Esplanada Ferroviária.

“Este ano, estamos vivenciando um Carnaval mais seguro e organizado, com um policiamento reforçado e uma aparente conscientização por parte dos foliões. O fato de existir alternativas de festividades em diferentes pontos da cidade tem contribuído para a redução de aglomerações na esplanada, resultando em uma demanda menor por atendimentos da Cruz Vermelha”.

Outro ponto evidenciado pela representante foi a diminuição de ocorrências com adolescentes embriagados. Neste ano, apenas um caso de menor alcoolizado foi registrado.

“Outro aspecto positivo a ser destacado é a mudança no comportamento dos participantes. Em comparação com anos anteriores, onde 90% dos atendimentos da Cruz Vermelha eram relacionados a adolescentes embriagados, este ano observamos uma redução expressiva nesse tipo de ocorrência. Até o momento, foi registrado apenas um caso de menor alcoolizado entre os 57 atendimentos realizados”, frisou Aline Tagliaferro.

COMPARTILHE AGORA MESMO