ACESSO FÁCIL
Pesquisar
Close this search box.

FICA consolida integração das artes na fronteira

A IV edição do Festival de Inovação, Cultura e Arte – FICA realizado pela Prefeitura de Ponta Porã por meio da Secretaria Municipal de Educação, Esporte, Cultura e Lazer e Fundação de Cultura e Esporte-FUNCESPP, com apoio da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul e Governo do Estado consolidou a integração das artes durante três dias de evento no Parque dos Ervais.

O evento que ocorreu de 13 a 15 de novembro de 2022, teve início com Dialogo Cultural: A música na perspectiva da Educação, com professor Joan Silva, ocorrida no Centro de Convenções de Ponta Porã.

A programação do primeiro dia prevista para o Parque dos Ervais foi cancelada em virtude da forte chuva e vento que atingiu Ponta Porã, impossibilitando as apresentações culturais.

O segundo dia começou com Dialogo Cultural – Artesanato de Ponta no auditório do Centro de Convenções de Ponta Porã, com participação do Colaborador do Sebrae-MS, Emerson Medeiros que apresentou Cidade Empreendedora e as ações que devem nortear o eixo voltado para o desenvolvimento do segmento de artesanato em Ponta Porã.

No Parque dos Ervais a programação teve início as 15h com abertura dos portões, Feira de Artesanato, Exposição de Carros Clássicos dos Antigões da Fronteira, Abertura da IV edição do Festival Internacional de Cerveja Artesanal, Espaço de Gastronomia.

No palco Fica na Fronteira foi realizada a apresentação de Dança Urbana com os alunos da Escola Estadual João Brembatti Calvoso, coordenação professora Elaine Romio e da Escola Estadual Geni Marques Magalhães, coordenação professora Andrea Flores.

O Projeto Orquestra de Violão da FUNCESPP, com coordenação do Professor Mario Morel, também marcou presença abrilhantando a abertura oficial do FICA 2022.  

Em seguida a parte musical teve inicio com a banda Nice Tipe de Ponta Porã, formada pelos músicos Lucas Montiel, Hengel, Diego de La Vega e Oscar Montiel, mostrando  a força do rock mais pesado em tributo a Black Sabath.

A segunda atração fez todo público cantar e dançar, com a excelente apresentação da banda Cassino Boggie de Campo Grande, que fez um show com repertórios do rock e soul music, com um grupo musical coeso integrando guitarras, instrumentos de sopro, bateria e baixo em meio a performance impagável do vocalista Renan.

“O FICA é um evento importante, pois possibilita espaço  para artistas de Mato Grosso do Sul. Estavamos ansiosos para fazer o show em Ponta Porã e o clima, a interação do público estava contagiante” destacou Renan Vieira.

O terceiro dia foi marcado pelo Dialogo Cultural – Arte Urbana na Fronteira reunindo representantes da Dança Urbana, Skate, Tatoo, Grafite e Rap, que apresentaram um pouco do atual cenário das linguagens existentes em Ponta Porã.

“Temos essas linguagens, existem os protagonistas, compete a nós gestores públicos organizar ações para impulsionar e consolidar o segmento na fronteira. Fizemos um diagnóstico que vamos apresentar ao eixo da Arte urbana da Cidade Empreendedora que deve resultar em ações concretas em Ponta Porã” explicou Eder Rubens, gerente de Cultura.

Na oportunidade foi realizada uma competição de Skate com alunos do projeto municipal coordenado pelo Professor Jhonatan de Souza Vera.

“Achei um evento sensacional e uma iniciativa de suma importância para arte urbana. Vim de Caarapó especialmente para participar do FICA, expor meu trabalho e manter contatos com os demais artistas” disse o Grafiteiro Reginaldo.

No período da tarde foi realizado a atividadeVenha Trocar figurinhas da Copa do Mundo no Parque, que resultou na integração entre adultos, jovens e crianças.

O palco principal teve início com a excelente apresentação do Grupo Fronteira Breakers com coordenação de Fábio Ledesma, surpreendeu mostrando o talento, sincronia e leveza da dança urbana presente nos diversos espaços públicos da fronteira.

O Duo de rock-blues Crossroad de Ponta Porã, formado por Augusto Rocha e Adilson Salina subiu ao palco FICA NA FRONTEIRA e apresentou um repertório que agradou em cheio ao público presente, com tranquilidade e sintonia abriu a noite que prometia boa trilha sonora.

A segunda atração ficou com o Duo de rock acústico Che Patrón formado por Mikael e Matheus que entoaram canções do rock clássico nacional alternando com grandes sucessos do cenário musical internacional, confirmando o talento existente no segmento de música da fronteira e segurando muito bem o público que aguardava o show do Bando do Velho Jack.

Fechando o FICA 2022 o consagrado Bando do Velho Jack subiu ao palco sem cerimonias, mostrando que seria uma noite bem rock and roll, com alta voltagem, guitarras e atitudes, com repertório de sucesso autorais da banda sul mato grossense intercalando com versões de sucesso de Almir Sater, Paulinho Simões, Rita Lee e Ney Mato Grosso.

“Foi uma noite incrível, o público compareceu e curtiu rock. O FICA é um dos poucos eventos em nosso estado que oferece aos nossos artistas uma estrutura e organização para apresentarem sua obra em especial ao segmento rock” disse Rodrigo Tozette vocalista do Bando do Velho Jack.

O Gerente de Cultura, Eder Rubens lembrou que o FICA vem buscando crescer e se consolidar como um evento de arte, cultura, inovação e empreendedorismo voltado para o desenvolvimento do setor cultural de Mato Grosso do Sul.

“O evento vai buscando aperfeiçoar sua programação de forma integrada com os seus colaboradores e artistas, com apoio de suma importância do Governo de Mato Grosso do Sul e da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul em meio a gestão planejada e integrada do prefeito Hélio Peluffo e sua equipe que oferece todo suporte necessário para realização do evento cultural” frisou Eder.    

O Festival de Inovação, Cultura e Arte-FICA faz parte do calendário cultural de Ponta Porã, sendo   um dos eventos voltados para população como forma de integrar junto a obra produzida pelos artistas da fronteira e de todo Mato Grosso do Sul.                

* Diretoria de Comunicação

COMPARTILHE AGORA MESMO