Secretaria Nacional de Portos autoriza funcionamento definitivo do porto de Porto Murtinho


O secretário Nacional de Portos e Transportes
Aquaviários, Diogo Piloni, assinou nesta segunda-feira (14) o contrato que autoriza definitivamente o funcionamento do porto de Porto Murtinho.  O espaço pertence ao Grupo FV Cereais e os empresários Peter Ferter e Vitório Vedovato estiveram no momento da assinatura. O deputado federal Beto Pereira (PSDB) acompanhou os trâmites técnicos em Brasília para agilizar o pleno funcionamento do porto.

“Porto Murtinho está vivendo um conjunto de ações, por meio de investimentos privados e públicos, que vai mudar a história do município. A construção da ponte sobre o rio Paraguai nos próximos anos e a autorização definitiva para o funcionamento do porto vai trazer ainda mais investimentos privados, desenvolvimento, empregos e renda. Essa autorização contou com o empenho e o comprometimento tanto dos empresários como da Secretaria Nacional de Portos. A SNPTA identificou as qualidades do projeto e com espírito público empreendeu todos os esforços para agilizar os processos burocráticos para chegarmos até este momento”, afirmou Beto Pereira.

A cidade de Porto Murtinho pode se tornar um dos maiores entrepostos comerciais do país com o contrato firmado na segunda-feira.

Atualmente, 7,95% da produção de grãos de Mato Grosso do Sul é escoado por Porto Murtinho, com o porto em pleno funcionamento, esta porcentagem pode chegar a 30%. Em 2019, foram exportadas pela cidade 244 mil toneladas de grãos, que movimentou mais de 81 milhões de dólares.

A estrutura que hoje recebe 100 caminhões por dia para descarregar a produção pode receber até quatro vezes mais essa movimentação. O escoamento que ocorre por Porto Murtinho tem como destino o Uruguai e a Argentina.  “O porto vai ofertar aos produtores de Mato Grosso do Sul uma vantagem competitiva em logística de transporte, que tem um forte impacto nos custos de produção e no valor do produto”, explica Beto.

A consolidação do porto viabiliza o escoamento pelo oceano Pacífico e aproxima a produção sul-mato-grossense com a China, um dos principais mercados mundiais. Essa estratégia também retira das rodovias um número grande de caminhões pesados que danifica as vias e coloca em risco a tráfego nas estradas. Além de grãos, fertilizantes e outros produtos podem ser transportados por Porto Murtinho.