Ser professor no Japão, uma profissão respeitada por todos, até pelo Imperador

Compartilhe agora mesmo!!!

Ser professor no Japão é muito diferente do que exercer essa atividade em qualquer local do planeta.

Por

Uma das maiores curiosidades quando se fala sobre a profissão de educador no Japão, é que essa é a única profissão que não deve se curvar diante do Imperador.

Afinal de contas, a cultura japonesa respeita tanto os professores que sabe que sem um professor, não é nem mesmo possível existir um Imperador. Assim, mesmo essa autoridade sendo uma das principais do Japão, um professor é mais importante para a manutenção da sociedade e para que essa possa propagar suas riquezas.

SER PROFESSOR NO JAPÃO E A RELAÇÃO COM A SOCIEDADE

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Dentro da sociedade japonesa, um professor também é muito respeitado. Isso porque, um dos requisitos para lecionar, é que ele tenha estudado e se dedicado muito.

Afinal de contas, mesmo depois que os professores se formam, eles passam por um longo e difícil processo de seleção para poderem darem aulas nas escolas públicas.

Somente cerca de 40% de todos que se formam para lecionar conseguirão entrar nas escolas públicas. Logo, além de tudo, os alunos das escolas públicas possuem acesso aos melhores professores.

E como o salário não é ruim, um professor não precisa trabalhar em mais de um local para conseguir se sustentar, como acontece no Brasil. Ele pode, e é o que acontece com muitos professores, se aposentar dando aula somente.

Sendo assim, ser um professor no Japão é uma profissão muito bem vista e admirada pela sociedade como um todo.


Compartilhe agora mesmo!!!