ACESSO FÁCIL
Pesquisar
Close this search box.

Taxa de contágio da Covid-19 volta a subir em MS

Por G1 MS

Secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende — Foto: Redes Sociais/Reprodução

Secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende — Foto: Redes Sociais/Reprodução

O secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, falou nesta terça-feira (22) sobre o aumento da taxa de contágio da Covid-19 em Mato Grosso do Sul. O índice subiu de 1,03% para 1,04%.

Ele atribui esse aumento, que também se reflete na quantidade de casos novos confirmados hoje, 926, ao afrouxamento das medidas de isolamento social que ocorreram no feriado prolongado de 7 de setembro. Desde o início da pandemia a quantidade de pessoas infectadas pelo novo coronavírus no estado chegou a 64.959.

Resende lembrou que no feriadão passado ocorreram aglomerações e festas em vários municípios do estado e que isso se reflete agora.

Disse que nesta terça foram confirmadas mais 12 mortes pela doença e que a média móvel de óbitos oscilou para baixo, ficando em 12,4 por dia. Comentou que o índice ainda é muito alto e que total de vidas perdidas para a doença em Mato Grosso do Sul totalizou 1.191.

Dos casos confirmados no estado, 5.576 são considerados ativos. Desse total, 5.119 estão cumprindo isolamento domiciliar e 457 estão internados, sendo 220 em unidades de terapia intensiva (UTIs).

A taxa de ocupação de leitos de UTI do Sistema Único de Saúde (SUS) no estado é de 51%, mas três municípios polo têm percentuais mais altos: Dourados, com 64%; Campo Grande, com 73% e Corumbá, com 78%.

O número de recuperados da doença chegou a 58.192, o equivalente a 89,5% dos infectados.

O estado tem 1.327 amostras de testes da Covid-19 aguardando a liberação pelos laboratórios e os municípios possuem 2.832 casos suspeitos sem encerramento. Desde o começo da pandemia, Mato Grosso do Sul realizou 251.306 testes.

Boas notícias

Resende também trouxe boas notícias. Falou que o estado recebeu a doação de um banco de mais equipamentos para a montagem de novos leitos de UTI. São oito ventiladores e 23 monitores.

Lembrou que graças ao esforço do poder público e das doações recebidas de empresas, que todas as microrregiões do estado e até algumas cidades que não sedes de microrregiões receberam leitos de UTI.

Disse que vai fazer uma discussão pós-pandemia, para que a estrutura montada nessas cidades permaneça e que amanhã vai ter uma reunião com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, para discutir o financiamento desses leitos.

O secretário comentou também que as duas novas máquinas automáticas, uma adquirida pelo estado e a outra recebida do Ministério da Saúde, já estão em operação no Laboratório Central em Campo Grande (Lacen)

Disse que com esses equipamentos, o estado adquire uma capacidade de fazer 1.800 testes diários, seis vezes mais do que a que tinha no ínicio da pandemia, que era de 300 testes diários.

Relembrou que com esses equipamentos, Mato Grosso do Sul se torna autossuficiente na testagem e não vai precisar mais enviar amostras para laboratórios parceiros em São Paulo ou no Rio de Janeiro.

COMPARTILHE AGORA MESMO