ACESSO FÁCIL
Pesquisar
Close this search box.

Ex-presidente da Assembleia e conselheiro do Tribunal de Contas vira réu por organização criminosa em MS

Por G1 MS

Ex-presidente da Assembleia e conselheiro do TCE-MS vai responder por organização criminosa — Foto: André Abreu/Arquivo Pessoal

Ex-presidente da Assembleia e conselheiro do TCE-MS vai responder por organização criminosa — Foto: André Abreu/Arquivo Pessoal

O juiz da 1ª Vara Criminal de Campo Grande, Roberto Ferreira Filho, aceitou denúncia do Ministério Público de Mato Grosso do Sul (MP-MS) contra o conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE-MS) e ex-presidente da Assembleia Legislativa, Jerson Domingos. Ele virou réu por supostamente integrar organização criminosa (milícia armada).

A denúncia foi aceita pela Justiça, na sexta-feira, dia 17 de julho. A ação é resultado da 3ª fase da operação Omertà, quando Domingos chegou, inclusive, a ser preso, sendo solto no dia seguinte. O advogado André Borges, que defende o conselheiro do TCE-MS, diz que assim que seu cliente for notificado apresentará a defesa e mostrará que ele não tem nenhuma relação com a suposta organização criminosa.

Com base na denúncia do MP-MS, além de Jerson Domingos, outras 19 pessoas viraram réus. Elas estão sendo acusadas de fazerem parte de duas organizações criminosas, uma de Campo Grande e outra de Ponta Porã, que se apoiavam para a prática de crimes como o tráfico de armas de fogo, por exemplo.

Entre os réus estão os empresários Jamil Name e Jamil Name Filho, que seriam os chefes da suposta milícia que agia em Campo Grande e os também empresários Fahd Jamil e seu filho, Flávio Correia Jamil Georges, que comandariam a suposta organização que atuava em Ponta Porã.

COMPARTILHE AGORA MESMO