Governo do Estado e municípios discutem estratégias para intensificar vacinação em MS

Uma reunião realizada na manhã desta sexta-feira (10) na Secretaria de Estado de Saúde (SES), com a participação de dirigentes da Associação de Municípios de Mato Grosso do Sul (Assomasul) e do Conselho de Secretários Municipais de Saúde (Cosems), iniciou a discussão de estratégias para intensificar o processo de imunização em Mato Grosso do Sul, que serão propostas nos próximos dias.

“Vamos reforçar as parcerias que o Estado tem com os prefeitos e prefeitas para que possamos completar o ciclo vacinal da nossa população e ampliar a dose de reforço em idosos acima de 70 anos, bem como avançar a imunização dos adolescentes de 12 a 17 anos”, explica o secretário estadual de Saúde Geraldo Resende.

Levantamento da SES aponta que atualmente há 313 mil doses de vacinas disponíveis nos municípios para serem aplicadas na população. Para o melhor aproveitamento, o Governo do Estado quer intensificar a aplicação da terceira dose nos idosos acima de 70 anos e nas pessoas imunossuprimidas, bem como nos adolescentes de 12 a 17 anos.

“Os municípios também têm disponibilidade de vacinas da Coronavac para quem ainda não tomou a segunda dose. Inclusive alguns que têm acima de 18 anos e que não tomaram nenhuma dose ainda, devem procurar as unidades para não ficarem suscetíveis à doença, ainda mais agora, com o surgimento da variante Delta”, salienta o secretário.

Preocupação

Geraldo Resende explica que alguns dados vêm preocupando as autoridades sanitárias em Mato Grosso do Sul. “Das pessoas que estão indo a óbito em nosso Estado, 60% não tomaram nenhuma vacina ou tomaram apenas a primeira dose. E os outros 40% são de pessoas que tomaram as duas doses há mais de seis meses e têm mais de 60 anos”.

Isso reforça, segundo o secretário, a necessidade da estratégia de aplicação da terceira dose, por enquanto, para as pessoas com idade acima de 70 anos e, assim que houver disponibilidade de vacinas, para os idosos acima de 60 anos.

“Na guerra em que nos encontramos, vacinação não pode ter pausas em feriados e nem finais de semana. Precisamos celebrar o que Mato Grosso do Sul tem de melhor, que é a unidade e o engajamento de todos os secretários, prefeitos e suas equipes a fim de continuarmos sendo o Estado de referência no combate à Covid em todo o país”, ressalta Geraldo Resende.

Parcerias

O presidente da Assomasul, Valdir Júnior, e o presidente do Cosems, Rogério Leite, concordam com a possibilidade de adotar estratégias para reforçar a vacinação contra a Covid-19. Segundo Valdir Júnior, a entidade vai convocar novamente os prefeitos para que os municípios atuem com as equipes de imunização aos sábados, domingos e feriados. E fez um apelo:  “não adianta o prefeito e o governo montar uma estrutura, distribuir as doses e a população não comparecer aos locais de vacinação. Precisamos dividir essa responsabilidade para que continuemos liderando o esse processo em nosso país”.

O presidente do Cosems Rogério Leite, que também é secretário municipal de Saúde de Corumbá, afirma que desde a chegada da Covid-19 em Mato Grosso do Sul, o Estado conseguiu ser protagonista na campanha de vacinação.

“Todos os prefeitos, secretários e suas equipes de saúde, com a equipe técnica da SES, adotaram uma estratégia que serve de exemplo para o país.  E está mais do que provado que a vacina resolve, faz com que tenhamos uma nova realidade no nosso cotidiano”.

Segundo Rogério, para a continuidade dessa liderança é necessária a colaboração da comunidade. “As equipes da SES e de todos os municípios estão imbuídas nesse processo. As doses estão nos municípios, as equipes estão trabalhando diuturnamente em todos os dias da semana e muitas vezes não conseguimos ter o êxito esperado, pela falta de procura. Se hoje temos hospitais vazios e decréscimo substancial de casos positivos, isso é resultado da vacinação”, conclui.

Também participaram do encontro na manhã desta sexta-feira os prefeitos de Bela Vista, Reinaldo Piti, e de Nova Alvorada do Sul, José Paulo Paleari; a diretora geral de Vigilância em Saúde da SES, Larissa Castilho; e o assessor técnico do Corpo de Bombeiros Militar na SES, coronel Marcello Fraiha.

Texto e foto: Ricardo Minella/SES

COMPARTILHE AGORA MESMO
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
COMENTE AGORA MESMO!