Ilumina Pantanal é finalista em prêmio internacional de inovação no Reino Unido

O projeto “Ilumina Pantanal”, que levará energia elétrica para mais de cinco mil pessoas que vivem em áreas remotas do Pantanal de Mato Grosso do Sul até 2022, foi indicado a um dos maiores prêmios de inovação em geração solar do mundo: o Solar & Storage Live Awards 2021, que acontecerá entre os dias 23 e 25 de novembro em Birmingham, na Inglaterra.

O projeto desenvolvido pela concessionária Energisa, em parceria com a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) e o Governo de Mato Grosso do Sul, concorre com outras duas iniciativas na categoria “International Solar and/or Storage Project of the Year” – em português: Projeto Internacional Solar e/ou Armazenamento do Ano.

O prêmio é concedido pela Solar Energy UK, uma organização sem fins lucrativos que trabalha em uma agenda que representa toda a cadeia de valor do armazenamento solar e de energia, liderada por membros de mais de 230 empresas e associados.

“O ‘Ilumina Pantanal’ amplia o acesso à energia elétrica, melhorando a qualidade de vida da população com fornecimento de uma energia limpa, que preserva a fauna e a flora”, explica o governador Reinaldo Azambuja. “É um programa inovador que levará 90 mil km² de novas coberturas aos municípios de Aquidauana, Corumbá, Coxim, Ladário, Miranda, Porto Murtinho e Rio Verde. Essa área territorial é quase o tamanho de Portugal, ou superior aos países da Dinamarca e Holanda juntos”, completa o governador de Mato Grosso do Sul.

Para o diretor-presidente da Energisa Mato Grosso do Sul, Marcelo Vinhaes, a indicação do “Ilumina Pantanal” ao prêmio reforça o orgulho que o grupo tem do Estado. “É o nosso Pantanal sendo destaque internacional com a Energisa levando essa iniciativa para um dos maiores encontros em energia renovável do mundo. Seguiremos investindo continuamente em inovação e sustentabilidade. Temos a convicção de que criamos uma solução pioneira e robusta que vai contribuir, de forma significativa, para a melhoria da qualidade de vida das pessoas e para o desenvolvimento sustentável deste que é considerado um Patrimônio Natural da Humanidade”, declara.

Já o secretário estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar de Mato Grosso do Sul, Jaime Verruck, afirma que a indicação ao prêmio referenda a política pública da sustentabilidade, adotada pelo Governo do Estado.

“Confirma que estratégia de preservação e conservação do Pantanal aliada a estratégia de ampliação da energia limpa no Mato Grosso do Sul deu certo. Nesse cenário, um ponto fundamental é que todos as propriedades e produtores dessa região vão ter acesso à energia elétrica, que é considerado um bem básico e essencial para desenvolvimento das atividades econômicas. Estamos atendendo uma região remota com um projeto sustentável, com energia renovável e atendimento direto aos ribeirinhos, produtores rurais e todos que ali vivem. Tudo isso com Mato Grosso do Sul caminhando para ser estado carbono neutro em 2030”, avalia.

Projeto vai atender mais de cinco mil moradores do bioma

Fotos: Chico Ribeiro

COMPARTILHE AGORA MESMO
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
COMENTE AGORA MESMO!