MANIFESTO DOS EMPRESÁRIOS DE JARDIM E GUIA LOPES DA LAGUNA PELA ABERTURA DE NOSSOS COMÉRCIOS


O trabalho dignifica o ser humano; e com trabalho levamos o sustento para nossas famílias, além disso, geramos empregos e rendas ao nosso País, ao nosso Estado, e ao nosso Município.

Não menosprezamos a doença; seguimos todos os protocolos de biossegurança. Queremos e precisamos trabalhar!

Não dá mais pra ficar assim. É preciso voltar com segurança. É preciso preservar empregos, é preciso preservar nossa saúde mental!

É revoltante perceber a sensação de medo e desespero, no que diz respeito ao cumprimento do curto horário e ao atual sistema de trabalho que nos fora imposto. É necessário coerência, empatia, tolerância, para conosco!

Já passamos de um ano de pandemia! Nenhum dos Senhores que deliberam sobre o nosso setor, tiveram perdas salariais ao final do mês. Talvez, nem precisaram demitir funcionários. Pois, tem bons salários garantidos!

Nossa Constituição Federal diz que todos somos iguais perante a lei (Artigo 5o, da CF/1988). Neste mesmo artigo, noutro inciso diz: “Todos temos o direito de ir e vir. (…)”

Não vamos, nem temos o interesse em descumprir a legislação, somos ordeiros e disciplinados! Precisamos, e necessitamos de que nosso direito ao trabalho seja restaurado.

Com muita dificuldade pagamos nossos impostos, como tantos outros! São estes impostos que asseguram ao Estado o poder de gestão.

Senhores gestores públicos, nos permita à restauração de nossos direitos, pois cumprimos com nossos deveres. Não queremos mais desempregos! Nem a falta de leite à quem amamos, cujo temos o dever constitucional de cuidar, de levar subsistência!

“Precisamos laborar para a sobrevivência, não vivemos às custas da viúva estatal, com salários no fim de cada mês”, como bem disse, o Presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, em seu discurso de posse – Desembargador Carlos Eduardo Contar.

Ainda parafraseando o Exmo Sr. Desembargador Carlos Eduardo Contar, numa parte em que citou, mesmo que seja uma menção de ordem espiritual: “bem aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados!”. Diante disso, esperamos que haja igualdade e equidade para todos, pois o mundo clama por justiça. Não se existe justiça quando por omissão ou indiferença, houver usurpação de direitos e liberdades individuais e coletivas. Só a verdadeira justiça há de trazer o equilíbrio e a verdade, e não a propaganda pessoal, muito menos a atuação político- ideológica.

Por fim, rogamos que nossos representantes locais, quer sejam do legislativo, ou do executivo, que intercedam por nós, leve ao Governador

do Estado, aos Senhores Deputados, um pouco de nossa dor, de nossas angústias; e que hoje, nossa maior necessidade, é a de que queremos e precisamos trabalhar. Respeitamos a doença, e cumpriremos as regras de biossegurança. Que haja maior fiscalização e combate às aglomerações, que ocorrem por meio de festas clandestinas! Que nossos pequenos negócios não precisem trabalhar sob pressão, a nossa saúde mental, não agüenta mais, está próxima a romper a barreira do limite.

O momento é de união, chegou a hora de darmos as mãos, e juntos buscarmos o equilíbrio entre saúde e economia, pois, ambos os setores, quando desequilibrados, um infere no outro, e propiciam o início do caos social.

Todo o poder emana do povo, e para o povo! Jardim/MS, 29 de março de 2021

Assinam este manifesto: a Associação Empresarial de Jardim, a Associação Comercial e Empresarial de Guia Lopes da Laguna, e o Sindicato Rural de Jardim.