MPMS pede monitoramento por tornozeleira eletrônica em deputado estadual Jamilson Name

Por G1MS e TV Morena

Jamilson Name é deputado estadual em Mato Grosso do Sul — Foto: ALMS/Divulgação

Jamilson Name é deputado estadual em Mato Grosso do Sul — Foto: ALMS/Divulgação

O Ministério Público de Mato Grosso do Sul (MPMS) requereu nesta quarta-feira (27), com urgência, o cumprimento imediato ao monitoramento eletrônico do deputado estadual Jamilson Name (sem partido). Name é investigado na Operação Omertá por suspeita de ser um dos comandantes de uma organização criminosa suspeita de execuções em Mato Grosso do Sul.

O pedido do MPMS cita que Deputados Estaduais gozam das mesmas imunidades formais dos Congressistas desde 2019, mas afirma que o uso de tornozeleira eletrônica “não é uma delas, pois nem mesmo reflexamente dificulta ou impede o exercício do mandato de Deputado Estadual”. O documento cita, inclusive, o caso da deputada Flordelis, que continuou exercendo o ofício utilizando a tornozeleira, para basear o pedido.

Em contato com a TV Morena, o advogado de Name, Gustavo Passarelli, afirmou que já teve acesso à manifestação do MPE. “A defesa entende que o pedido não tem cabimento e contraria a decisão judicial que determinou a prévia manifestação da ALMS a respeito do assunto. A decisão judicial é clara nesse sentido e não comporta, em nossa opinião, qualquer modificação”, afirma. “Em nosso entendimento essa manifestação demonstra desnecessário constrangimento ao deputado”, finaliza o advogado.

Operação Omertá

Jamilson Name é suspeito de fazer parte da organização chefiada pelo pai, Jamil Name. Jamil está preso desde o ano passado em Mossoró (RN), acusado de chefiar uma organização criminosa ligada ao jogo do bicho, homicídios, extorsão, corrupção de agentes públicos e tráfico de armas.

COMPARTILHE AGORA MESMO
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
COMENTE AGORA MESMO!