Notas que não estão “mutiladas” continuam em circulação na fronteira

Lile Corrêa*

Após uma onda de não aceitação de notas coladas com durex, riscadas e faltando pedaços no comércio de Ponta Porã, onde comerciantes reclamaram que não estavam conseguindo trocar as notas velhas por novas em instituição bancária, a Associação Comercial Empresarial de Ponta Porã convidou os representantes dos bancos da cidade para em comum acordo firmarem uma nota a sociedade fronteiriça e evitar prejuízos aos consumidores e comerciantes por não aceitação de notas “não mutiladas”.

Na manhã desta terça-feira (10/01) na sede da Associação Comercial e Empresarial de Ponta Porã, membros da Diretoria da ACEPP reuniram-se com os representantes dos bancos Sicredi, Bradesco, Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil e Banco Itaú e em comum acordo com as instituições financeiras seguindo as normas do Banco Central, conforme está na circular assinaram um comunicado à sociedade.

Da reunião saiu um informe a população da fronteira em que orienta os consumidores e comerciantes.

O Jornal Che Fronteira e a Rádio Líder FM 104,9 participaram da reunião na ACEPP.

De acordo com o informe consta “Que todas as notas que não estão mutiladas, PODEM SER ACEITAS E CONTINUAM EM CIRCULAÇÃO NORMAL, não havendo necessidade do comércio geral bem como o consumidor se recusar a aceita-la, nem mesmo a necessidade das pessoas que pegarem essas referidas notas se preocuparem em trocarem de imediato em qualquer agencia bancária.

Quanto ao comerciante, pode efetuar depósito e pagamentos com essas notas normalmente, e que a referida informação serve para todo o território nacional”.

Participaram da reunião o presidente da ACEPP, Amauri Osório Nunes, Valter Vieira – Gerente de Negócios do Banco do Brasil, Tiago José Gomes – Gerente de Relacionamentos do Banco do Brasil, Neide Tominaga – Sicredi, Daniele Manvailler – ACEPP, Edilson Moises Sicredi – Gerente Administrativo Financeiro, Diana Beatriz Mancine – Supervisora Itau, Ricardo Matias – Gerente de Serviços Banco do Brasil, Vitor Julio Godoy – Gerente Administrativo Bradesco, João Augusto Biolchi – ACEPP, Temistocles Cazarin Silva – Gerente CEF, Vanda Hanel e Wilson Luiz Hanel – Lojas Veneza, João Carlos Drogaria Avenida, Eder Rubens – Presidente do Clube de Imprensa de Ponta Porã.

Segue abaixo modelos de cédulas COM VALOR PARA TROCA e cédulas SEM VALOR PARA TROCA.

Anexo à Carta-Circular 3.373, de 23.1.2009

Substitui o Anexo à Carta-Circular 3.235, de 17.5.2006 – Item 5

1) Exemplos de cédulas DILACERADAS (com valor para troca)

Essas cédulas possuem valor para troca. Devem ser recolhidas pela rede bancária, identificadas por meio de etiqueta contendo a expressão “DILACERADO”, em caracteres vermelhos, e encaminhadas ao custodiante separadamente de cédulas classificadas como utilizáveis, não-utilizáveis ou mutiladas (itens 10 e 15 da Carta-Circular 3.235).

I – Cédula danificada por traças, cupins ou agente químico:

 

II – Cédula danificada pelo fogo que apresenta um único fragmento com mais da metade do tamanho original da cédula:

III – Cédula rasgada que apresenta um único fragmento com mais da metade do tamanho original da cédula:

IV – Cédula cortada que apresenta um único fragmento com mais da metade do tamanho original da cédula:

V – Cédula cortada, com cortes nas bordas ou no interior:

VI – Cédula marcada com quaisquer caracteres estranhos:

 Anexo à Carta-Circular 3.373, de 23.1.2009

Substitui o Anexo à Carta-Circular 3.235, de 17.5.2006 – Item 6

2) Exemplos de cédulas MUTILADAS (sem valor)

As cédulas mutiladas não têm valor por não apresentarem um fragmento com mais da metade do tamanho original. Entretanto, havendo dúvida, conforme os exemplos a seguir, as cédulas poderão ser encaminhadas ao Banco Central para análise e posterior valorização, se for o caso. Essas cédulas devem ser encaminhadas em volumes separados, apartadas das demais e identificados por etiqueta que contenha a expressão “MUTILADO” (itens 11 e 16 da Carta-Circular 3.235).

I – Cédula rasgada, cortada ou queimada:

 

 

 As Cédulas mutiladas não têm valor por não apresentarem um fragmento com mais da metade do tamanho original.