Regionalização da Saúde avança com novos hospitais em 10 cidades de MS

O plano estratégico da regionalização da saúde em Mato Grosso do Sul segue em execução pelo Governo do Estado. Com recursos aplicados em obras de construção, reforma e ampliação de prédios hospitalares em 10 cidades do interior, o Governo fortalece e moderniza a rede de atendimento à população sul-mato-grossense.

Mesmo vivendo há 16 meses uma pandemia que freou as atividades econômicas mundo afora, o Governo do Estado manteve os investimentos na área da saúde e fez duas importantes entregas no último ano: os hospitais de Jardim e Maracaju. A ampliação do Hospital Marechal Rondon, em Jardim, triplicou a capacidade de atendimento da unidade, que fazia em média três mil atendimentos por mês no ambulatório. Em Maracaju, o Hospital Municipal Soriano Corrêa da Silva recebeu um novo pronto-socorro totalmente equipado.

Governador em vistoria recente à obra do hospital de Nioaque (Foto: Saul Schramm)

Outra obra da saúde que deve ser inaugura nos próximos 60 dias está em Nioaque. A Unidade Mista de Saúde Aroldo Lima Couto passa por reforma e ampliação para se tornar um hospital de pequeno porte. Depois de pronto, o prédio promete dar vida à Nioaque. Isso porque o local vai abrigar uma farmácia 24 horas e uma maternidade, onde serão feitos os partos de mulheres grávidas – o que não ocorre na cidade desde 2009.

“Saúde sempre foi uma das prioridades da população. Por isso, planejamos melhorar as estruturas dos hospitais, equipando os polos regionais com mais leitos e aparelhos para exames complexos. Tudo para modernizar os serviços e ampliar o atendimento às pessoas. Em todas as nossas ações, o diálogo com as lideranças municipais foi fundamental para definir os investimentos em Mato Grosso do Sul”, afirma o governador Reinaldo Azambuja ao destacar que todos os empreendimentos têm parcerias municipais e federal.

Novos hospitais

Em construção, novos hospitais regionais em Três Lagoas e Dourados vão ampliar o atendimento à saúde de 43 municípios que formam as duas macrorregiões. No Bolsão, a construção do Hospital Regional de Três Lagoas está 97,30% concluída, na fase final de limpeza e desmobilização do canteiro de obras. Alguns equipamentos e mobílias já foram comprados e estão no almoxarifado da Secretaria de Estado de Saúde (SES). Outros estão em fase de licitação para a compra. Em Dourados, a edificação do prédio está 33% concluída, entrando na fase de acabamentos, com previsão de entrega em abril de 2022.

“Seguimos com a estruturação da rede hospitalar de Mato Grosso do Sul dentro da determinação do governador Reinaldo Azambuja de levar a saúde cada vez mais próxima dos cidadãos. Essa é nossa missão, feita em parceria com prefeitos e secretários municipais de saúde. Com a viabilização de construções, reformas e ampliações, bem como a compra de equipamentos, a regionalização está cada vez mais forte”, explica o secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, que destinou milhões de reais em emendas parlamentares, de quando era deputado federal, para obras em hospitais de MS.

Para o secretário de Infraestrutura do Estado, Eduardo Riedel, a regionalização da saúde é o verdadeiro legado da pandemia. “Ampliamos em 440% no número de leitos do SUS, distribuídos de forma regionalizada no Estado, e agora estamos vendo unidades hospitalares importantes e estrategicamente distribuídas para atendimento da nossa população, mostrando o compromisso do Governo de Mato Grosso do Sul com a saúde”.

HR de Dourados (Foto: Seinfra)

Construções, reformas e ampliações de estruturas hospitalares em Bodoquena, Caarapó, Corumbá, Maracaju, Nova Andradina e Ponta Porã vão modernizar ainda mais o oferta de serviços no interior do Estado. Em Bodoquena, convênio entre o Estado e o município garante reforma e ampliação do Hospital Municipal Francisco Sales. Contemplando os setores de nutrição, recepção, laboratório, centro cirúrgico e pronto-atendimento médico, a obra teve início em junho de 2020, está em 30% executada e passa por ajustes de contrato.

Em Caarapó, a reforma e ampliação do Hospital Beneficente São Mateus, iniciada em junho de 2020, é a primeira intervenção feita em 47 anos. Em Corumbá, a Santa Casa de Misericórdia também passa por melhorias. Com mais de 50% de execução, a obra passa por reordenação de planejamento. Já em Maracaju, a construção do Centro de Especialidades da Mulher está em fase final, com expectativa de conclusão em outubro deste ano.

 Centro de Especialidades da Mulher, em Maracaju, deve ser finalizado neste ano (Foto: Prefeitura de Maracaju)

Para Ponta Porã, o Governo prepara processo licitatório referente à ampliação da enfermaria do Hospital Regional Dr. José de Simone Netto, que vai possibilitar a implantação de 32 novos leitos clínicos na unidade. Também se encontram em andamento processos licitatórios para a aquisição de novos equipamentos. De Nova Andradina, o Hospital Regional Francisco Dantas Maniçoba também recebe obras de modernização em toda sua estrutura, como UTI Neonatal, Banco de Leite, Unidade de Cuidados Intermediários e Centro de Diagnóstico por Imagem – todos setores com obras próximas do término.

Bruno Chaves, Subcom
Foto destaque: Seinfra (Hospital Regional de Três Lagoas)

COMPARTILHE AGORA MESMO
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
COMENTE AGORA MESMO!