Chefe de organização criminosa que comandou maior rebelião ocorrida em MS foge de presídio pulando cerca

Por Maressa Mendonça, g1 MS — Campo Grande

Centro Penal Agroindustrial da Gameleira, em Campo Grande.  — Foto: Agepen-MS/Reprodução

Centro Penal Agroindustrial da Gameleira, em Campo Grande. — Foto: Agepen-MS/Reprodução

José Claudio Arantes, conhecido como “Tio Arantes”, de 66 anos, fugiu do Centro Penal Agroindustrial da Gameleira de Campo Grande na madrugada desta terça-feira (23). Segundo a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), o detento escapou pela cerca do estabelecimento prisional, em circunstâncias que ainda são apuradas.

Para polícia, Arantes é um dos chefes de uma organização criminosa, Primeiro Comando da Capital (PCC), que atua nos presídios em Mato Grosso do Sul e no Brasil. O fugitivo cumpria pena por tráfico de drogas e roubo, mas também já foi investigado por assalto a banco.

Em maio de 2006, Tio Arantes foi apontado como um dos chefes de rebelião ocorrida no Estabelecimento Penal Jair Ferreira de Carvalho, a penitenciária Máxima, em Campo Grande. O motim ocorreu em vários presídios brasileiros e foi atribuído à organizações criminosas que atuam nas cadeias.

Depois do motim, Arantes foi transferido para o presídio estadual de Dourados. O fugitivo também foi apontado como principal envolvido em plano para matar o diretor da unidade, na região sul de Mato Grosso do Sul.

Em relação à fuga, nesta terça, o juiz da 1ª Vara de Execução Penal de Campo Grande, Fernando Chemin Cury, suspendeu o regime semiaberto em que o foragido se encontrava e decretou a prisão em regime fechado de Tio Arantes.

COMPARTILHE AGORA MESMO
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
COMENTE AGORA MESMO!