Próxima eleição foi tema de reunião do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher

A importância da participação da sociedade civil organizada no Conselho Estadual dos Direitos da Mulher (CED/MS) foi uma das pautas debatidas ontem (21), em reunião das conselheiras nas dependências da Subsecretaria Especial de Cidadania de Mato Grosso do Sul (SECID/MS), localizada na Avenida Fernando Corrêa da Costa, nº 559, em Campo Grande.

“Entidades não-governamentais não só podem, como devem se fazer presentes neste Conselho que tem como objetivo principal a defesa dos direitos das mulheres”, declarou a presidente em exercício, Mara Caseiro. 

Atualmente, o Conselho é constituído por 31 mulheres. Destas, 16 são representantes governamentais e 15 não governamentais.

“Estamos nos organizando para a eleição do próximo triênio (2020/2023) que acontece em abril. Diante disso, ressaltamos a importância do envolvimento das entidades civis e do Governo, neste Conselho que propõe e fiscaliza, em âmbito estadual, as políticas públicas para a mulher”, disse Mara.

Para integrar a comissão eleitoral responsável por coordenar o processo eletivo foram sugeridos os seguintes nomes: Solimar Alves Almeida (Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul), Giovana Corrêa Ferreira Vargas (Subsecretaria de Políticas Públicas para as Mulheres), Amanda Faria (Ordem dos Advogados do Brasil) e Miriam Pereira dos Santos (Coletivo de Mulheres Negras “Raimunda Luzia de Brito”).

A sugestão será colocada em votação na próxima reunião do CED/MS que foi marcada para dia 30 de janeiro.Estiveram presentes na reunião, as conselheiras Caroline Monteiro Cuellar (Subsecretaria de Políticas Públicas para as Mulheres), Eliane de Fátima Alcova Alcântara (Titular Secretaria de Estado de Administração e Desburocratização), Thais Dominato Silva Teixeira (Defensoria Pública), Solimar Alves Almeida (Secretaria de Estado de Cultura e Cidadania) e a secretária-executiva Ana Paula dos Santos Campos.